NOSSO LAR - O FILME




"A vida não cessa. A vida é fonte eterna e a morte é jogo escuro das ilusões...

Uma existência é um ato.
Um corpo - uma veste.
Um século - um dia.
Um serviço - uma experiência.
Um triunfo - uma aquisição.
Uma morte - um sopro renovador...

Quantas existências, quantos corpos, quantos séculos, quantos serviços, quantos triunfos, quantas mortes necessitamos ainda?...” André Luiz

Sábado último fui com uma turma de jovens e uma amiga assistir a Nosso Lar,esperamos o frisson dos primeiros dias passarem, para podermos ver com calma e assim foi,lanchinhos...risadas,e a alegria de praxe que nos contagia a magia cinematográfica. O filme de fato é lindo, e falo com conhecimento de causa, por que tento ser espírita, já há alguns anos kkkk e por que li o livro,contudo não entendo ou quero entender as regras e parâmetros que os críticos usam na hora de julgar. Como eu disse no TT quando cheguei do cinema, a Academia não está pronta para um filme como Nosso Lar, pois só podemos julgar o que entendemos e para julgar devemos nos informar antes, porém os críticos continuam engessados em velhos padrões e fórmulas. Nosso Lar é pra ser sentido com a alma, para ser visto sem preconceitos, de coração aberto, independente de religião ou credo,por que o que ele nos apresenta é para muitos algo novo, fonte de pesquisa,ponto de partida.....não sei se é por que parto do princípio que devemos procurar conhecer para depois julgar...o fato é que ,se nem no Brasil que é Pátria do Espiritismo, com o maior número de espíritas reunidos, a crítica foge aos velhos padrões,por que imaginamos que seria diferente num país em que o nosso é ridicularizado todos os dias? Um país que não é afeito a muitas emoções, um povo racionalista ao extremo, por natureza. Aqui eu peço que sejamos um pouco realistas...uma nova era se inicia com Chico e Nosso Lar,mas ainda não é chegada a hora desses conceitos, não tão novos, quebrarem tantos preconceitos e idéias arraigadas na história dos povos. É um belo começo..um despertar...uma esperança!Eu fico feliz por isso!!!! Sem pressa e sem forçar a barra,atitude que é comum a Doutrina.

Sempre que a crítica tece seus comentários sobre um filme, principalmente quando o condena, tenho mais vontade de ver kkkkkkkk sempre fui assim. Faço meus próprios julgamentos, não me intimido, com os comentários negativos,eles despertam a minha curiosidade. Assisto de coração aberto, bom pra mim é o que me comove, que me tira do estado normal, para um leve flutuar,que toca minha alma,que me ensina algo,não importando o tipo de filme, gosto de verdade de cinema, então são raríssimos os estilos que não me agradam. Ao final faço minha própria crítica...se tenho vontade pesquiso sobre o tema..os atores e tudo mais que eu queira saber,para então estabelecer meu julgamento...que claro,só importa a mim e é o que basta kkkkkkkkkkkk

A partir daqui,se você ainda não viu Nosso Lar e pretende,advirto que vou falar um pouco da história. A história não é nova,pelo contrário, já tem uns bons anos passados, mas a tecnologia do plano espiritual impressiona, e é o que faz nossos críticos acharem uma viagem (quero esclarecer que não li nenhuma crítica) mas de cara já sei que esse fator foi de peso, a irrealidade do plano espiritual, no ver deles, claro! André Luiz começa no Umbral ( também conhecido como purgatório) confuso e atormentado, vendo flashes e nos permitindo conhecer sua vida na terra, é resgatado e começa uma batalha interior entre aceitação do que está diante de si e descrédito pelo que nunca lhe foi familiar quando na terra. Junto com ele e através dos olhos dele, vamos aprendendo,sentimos as saudades dele dos seus que ficaram, a aflição por notícias. Vemos humildade e disposição para servir por onde quer que ele passe,e até damos boas risadas com a história da água kkkk por que não ficamos perfeitos ou deixamos de ser nós mesmos quando morremos, a vida não dá saltos, as mudanças são graduais e André nos mostra isso.

Com o passar do filme vamos nos enredando na história e neste ponto confesso que a cena que mais emocionou foi a chegada das vítimas do holocausto e a acolhida humilde por parte dos ministros ( figuras mais elevadas da colônia espiritual ), Como também aquela em que o ministro se ajoelha aos pés de André quando procurado pelo mesmo. A fraqueza de Lísias e o medo de reencarnar e voltar a falhar me encantou pois mostra a humanidade que carregamos,não viramos santos, somos ainda os mesmos,com nossos medos,qualidades e falhas a serem corrigidas, e nem por isso menos aptos em ajudar alguém. Sou muito sincera,quem já leu alguns posts já deve ter notado,o filme não é perfeito, a tão almejada perfeição,não é deste nosso mundo. Euzinha sinto falta da parte que fala do vampiro(calma,muita calma nessa hora, não são vampiros sugadores de sangue,assim são chamados os obsessores,que sugam energias,vidas) que nos traria a perspectiva do aborto e das pessoas que se prestavam a realizá-los para pobres coitadas,confusas e desinformadas na maioria dos casos ( isso naquela época, né gente?) Então acho que seria um ponto de conflito que tornaria o filme mais rico. Paciência,compreendo que a linguagem do cinema não é a mesma dos livros e uma película de duas horas, não pode abarcar tudo, e o que é interessante no livro nem sempre o é nas telas. Cada um vai fazer seu julgamento e sentir falta disso ou daquilo, mas não diminui em nada a beleza da obra e sua importância, para espíritas e não espíritas.

No mais só me resta recomendar o filme,não percam que vale muito a pena e pedir que vão desarmados,deixem as garruchas, as pedras e tomates em casa kkkkkkkkkk e abram o coração,não precisa ser um coração espírita, apenas um que é capaz de amar e de se encantar com o bem! Fiquem a vontade para comentar aqui...por que ser espírita é ser pesquisador e caminhar com a ciência, portanto toda opinião é bem vinda, o aprendizado vem de toda parte e todos tem algo a aprender e a ensinar.


Um bom filme pra vocês!!!! Tenham a certeza que vai valer a pena. ;)

Cheirinhos na alma!

Vivi Oliveira

5 comentários:

Fernanda Reali disse...

Bom dia, Vivi! Postei ontem sobre Chico Xavier, que vi e adorei. Parece um documentário, é bem realista e neutro.

Estou curiosa para ver Nosso LAr, mas acho que vou gostar menos, pelo tom ficcional mais forte.

Não sigo nenhuma religião, então não vou assistir esses filmes para reforçar alguma crença. Vou para ver uma boa história. Gostei do teu texto e fiquei com mais vontade ainda de assistir.

bjs

Flavinha disse...

Ainda não assisti, mas tenho ouvido comentários tão bons que estou curiosa!

Um xero!

Elis (Coisas de Lily) disse...

Independente de crer ou não no espiritismo eu gosto de assistir a um bom filme. Se isso vai ou não mudar a minha fé, aumentá-la ou diminuí-la são outros 500.
Um beijo fofurete!

Thais disse...

Boa noite Vivi.. ainda não assisti o filme, to qrendo muito assistir..
Quanto a crenças eu não sei definir a minha direito rsrs.. sou católica.. mas tenho muito interesse em espiritismo.. acredito em um outro plano..espero realmente q tudo não acabe qndo a gnt morre...minhas dúvidas maiores.. são qnto a reencarnação.. tenho muita vontade de saber mais sobre tudo isso...
Bjoo

Douglas disse...

Eu tbem ja tinha lido o livro e vi o filme tbem.
Independente de religião fica uma lição pra qualquer um, todos seus atos tem uma consequencia

cheiro