Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores




“Fica sempre um pouco de perfume nas mãos de quem oferece rosas...” (Provérbio chinês)

Tenho visto tantas vidas ceifadas violentamente, crueldade sem explicação, causada pelas mãos do homem, por uma invenção de um ser humano,UMA ARMA. Mas aqui não quero dar espaço para o mal, que já é amplamente divulgado, explorado, super valorizado. A desgraça dos outros vende jornais, revistas e dá ibope. Já o bem, é tímido! Isso mesmo. Fala-se muito pouco das boas ações,mas elas existem, viu pessoas??? Podem não ter as proporções de uma tragédia, mas acontecem todos os dias. Creio que em vez de divulgarmos passo a passo um crime bárbaro (Isso me assusta, viu? E se outros tomarem como exemplo?) deveríamos diariamente tomarmos uma boa dose de bondade,respeito e tantas outras virtudes esquecidas. Se as boas ações fossem faladas e mostradas todos os dias, como o fazem com os crimes,quem sabe nossos jovens não teriam exemplos melhores a seguir.

Vamos mostrar o passo a passo de quem cuida de uma creche,de um asilo com tão poucos recursos. Vamos reconstituir como um casal adotou uma criança, tirando-a das ruas.Vamos até mesmo mostrar quem se presta a ajudar um idoso a atravessar a rua,subir num coletivo.Vamos dar ibope ao bem. Tem uma frase na Bíblia que diz: “Não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita” Ou seja,não ostentes o bem que fizestes,é justo e nobre, mas estamos vivendo tempos difíceis e começo a crer que temos sim que divulgar os bons atos, ações nobres.Quem sabe não angariamos solidariedade e outras mãos para o serviço. Pedindo licença aos Titãs, vou usar um trechinho de uma música que amo: “ ...se o bem e o bem existem,você pode escolher...” E aí, o que vai ser?

Já tem um tempo que quero escrever sobre o assunto. Dizer que sinto falta dos desenhos de minha época, das sessões da tarde inocentes,puritanismos a parte,existia uma beleza,criatividade,pureza que parecem terem se perdido. Já não ligo mais a TV na hora do almoço, os jornais locais são sensacionalistas e pingam sangue, usam linguagem chula, sob o disfarce de ser a língua do povo. Não quero uma indigestão, prefiro o silêncio, fico com meus pensamentos. A tarde, não tenho muitas opções, por que ao tentar novamente a TV,estão falando cansativamente, de um assassinato, uma traição,uma aberração qualquer,que desperte a curiosidade mórbida das pessoas. CHEGA!! Não quero mais ligar minha TV para ver a mesma notícia dantesca por uma semana ou mais. Vamos nos ater aos fatos,que devem sim ser informados,sem fazer daquilo um circo. Informemos, respeitemos a dor das pessoas e passemos adiante,por obsequio! Se você está pensando que esse post é uma apologia ao bem, está certíssimo! A pratica não é fácil,bem sabemos,mas ela leva a perfeição.Quem sabe,falando,mostrando e valorizando,não estaremos criando um futuro melhor para as nossas crianças, heim? Não custa nada tentar!

Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...
Geraldo Vandré

Proponho que atiremos amor a queima roupa e flores ao vento. O que vocês acham?
Cheirinhos!
Vivi Oliveira.

5 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

tão linda essa música... uma das mais bonitas da mpb.

eu tb sinto isso, parece q o mundo anda duro demais. e com um prazer mórbido pela desgraça, as pessoas se entretem com a morte, a dor alheia...


sintomas de uma sociedade doente...

Fernanda Reali disse...

Vivi, eu acho que todos deveriam ostentar boas ações, não para autopromoção, mas para contagiar os que estão perto, para despertar o desejo de fazer o bem em um número maior de pessoas.

Não precisa ter recursos materiais para fazer algo construtivo. Pode-se fazer contação de histórias,leituras, coleta de roupas usadas para doar etc. Depende só de um movimento.

beijooo

Mahria disse...

Vivi
Vim agradecer o carinho que você deixou lá no meu cantinho.
Obrigado linda.
Bjs

Anônimo disse...

Parece que a cada dia nos deparamos com mais desgraças no meio desse mundo, né? Será que a cada dia as coisas estão piorando ou nós não temos dado o devido valor as maravilhas que a vida nos proporciona? Assistir jornal, pra mim, é um sofrimento. Pequenos gestos fazem toda a diferença... Mas, enfim, é a realidade, né? Bom, acredito que o bem sempre vence no final.

"A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz;

Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!"

Beijos, morangos e paz!

LB

Doug disse...

Concordo plenamente.

Mas quem comanda os jornais..revistas..tvs..dizem que noticia boa não vende, e o pior é que talvez estejam certos.
Ninguem para na rua pra ver uma coisa boa..uma atitude bonita, mas se tiver uma briga..uma morte..quanto pior for mais pessoas se juntam.

Por algum lugar tem que começar a mudança, fassámos a nossa parte né